sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Sedução

De acordo com o Wikipédia, Sedução é a capacidade de seduzir, de encantar o outro com fins de atingir determinados objetivos.

Devo concordar em número, gênero e grau com essa definição. Certa vez eu fui seduzido por uma mulher desconhecida, mas com certeza ela conseguiu o que queria. A história abaixo aconteceu comigo há algum tempo atrás... claro que alguns fatos foram floreados para que se tornasse um conto gostoso de ler...

Sedução

É incrível como a maior cidade da América Latina consegue parar com uma simples chuva. São Paulo realmente tem problemas. Em particular a linha vermelha do metrô. Choveu parou. É assim e pronto. Como um dogma. Ninguém explica!

Mas, muitas vezes o que é um problema para uns, torna-se algo prazeroso para outros. Analisando o fato, vejo que até o metrô pode tornar-se uma alcova...

Pois bem...

Dirigia-me ao meu trabalho, de metrô, como normalmente faço. Como bom cidadão, deixei o carro em casa... E também não fiquei à porta atrapalhando a passagem.

Estava eu no corredor do trem, olhando o movimento e a chuva pela janela e nem reparei que ao meu lado tinha parado uma bela senhora. Devia ter seus 40 e poucos anos. Muito cheirosa, muito bem vestida. Fora uma bela e grossa aliança de ouro na mão esquerda... (Isso tudo eu reparei depois do ocorrido que vou relatar).

Então... estávamos lá no metrô... no meio da muvuca... mas um pouco distantes. Não demorou 3 estações, conforme o metrô foi enchendo, ela se viu obrigada a ficar mais junta de mim... e apenas uma estação depois ela já estava postada na minha frente a poucos centímetros de distância de mim. Pensando agora no ocorrido, chego até a pensar que ela premeditou tudo, mas nada posso provar.

Sem ter muita liberdade de movimentos e uma vez na minha frente, foi inevitável que eu encostasse nela e ela em mim. Normalmente quando isso ocorre, eu procuro chegar um pouco para trás, para não criar confusão (eu me conheço !!!!). E foi o que instintivamente fiz... quando senti aquela bunda encostando no meu pau... joguei meu quadril um pouco para trás e qual não foi minha surpresa quando ela sentindo esse movimento, arrebitou mais a bunda e forçou o encontro dos nossos corpos. Eu não tinha para onde sair e vi que ela não se importava com a situação.

Aí começou o nosso prazer e o problema de todos, que é o metrô lerdo e lotado na chuva passou a ser algo prazeroso para nós. Para bom entendedor, meia palavra basta e eu entendi a intenção dela.. então eu simplesmente relaxei. Encostei-me nela e decidi ver onde isso ia parar... Ela se encaixou em mim de tal maneira que meu pau ficou bem no meio da sua bunda... Ela sentindo isso não parava quieta... mexia discretamente se deliciando com meu pau endurecendo ao contato do seu corpo... até que sem muito o que fazer, ele ficou em posição de sentido. Nesse momento, ela olhou para trás, discretamente, e deu um sorrisinho malicioso de quem aprova alguma coisa.

Para ajudar, o lugar que estávamos era bem estratégico, entre dois bancos que ficam de costas um para o outro... estávamos ali no meio e ficava difícil alguém reparar mais detalhadamente no que rolava... somente as pessoas do nosso lado podiam ver. Mas de um lado, uma garota lendo e ouvindo seu mp3. Do outro um grupinho conversava animadamente absortos em seu papo.

Ela continuou mexendo discretamente e deliciando-se sentindo meu pau duro na sua bunda. Em determinado momento, ela ousou mais e colocou a mão para trás e alisou meu membro por alguns segundos. Tudo isso, ela fazia discretamente e sem olhar para mim. Eu estava hipnotizado por sua ousadia, e tentava controlar a respiração para não dar na cara o que acontecia. E ela agia naturalmente como se nada de anormal estivesse acontecendo. Afinal, tínhamos que ser muito discretos. Nossa... só de lembrar, fico de pau duro e escrever isso tudo aqui, traz de volta todas as sensações e o tesão sentidos naqueles minutos de loucura. Naquele trem do metrô, aquela desconhecida, ali no meio da multidão com a mão para trás, meio sem jeito, alisando meu pau. Que tesão!!!!

Na hora, minha vontade era agarrá-la ali mesmo e possuí-la com todo mundo olhando. Mas, como já disse, tive que me controlar. Discretamente acariciei suas coxas e pouco depois, repousei minha mão sobre seu quadril e de vez em quando descia a mão discretamente em direção à sua virilha quase tocando sua bucetinha que eu imaginava devia estar encharcada de tesão. Ela segurava um casaco na mão e colocou-o estrategicamente em frente ao seu corpo, fazendo com que seu sexo ficasse encoberto por ele. Vendo a oportunidade, desci mais a mão do seu quadril e passei a masturbá-la discretamente por cima da calça. Ela até virou um pouco de lado, para facilitar as coisas e tornar os movimentos mais discretos ainda. O tecido fino facilitava a brincadeira e eu podia sentir o contorno da sua bucetinha por cima da calça. A cada alisada e passada de mão, ela apertava meu pau com sua bunda...

Ficamos nessa brincadeira algum tempo...Então resolvi arriscar tudo e enfiei a mão dentro da sua calça, já que a mesma era de elástico e estava tudo encoberto pelo casaco em sua mão estrategicamente posicionado. Senti o calor e a umidade da sua bucetinha. Alisei seu grelinho durinho alguns segundos... E enfiei meu dedo médio na xoxota dela. Ela não aguentou mais... Percebi a chegada do seu gozo quando ela segurou o fôlego e apertou no ferro do metrô com força. Jogou um pouco a cabeça para trás e ali naquele trem lotado ela gozou... um gozo contido e discreto, mas imagino que delicioso por todo o tesão da situação... Eu pude ver esse gozo apenas pelo reflexo do seu rosto no vidro do trem. Podia ver seu sorriso de satisfação.

Depois desse gozo, ela discretamente tirou minha mão de dentro da sua calça, mas fiquei ainda alisando sua bucetinha por cima da calça um pouco mais de tempo...Então olhou para mim sorrindo e se abanando com a mão e disse com uma voz rouca e sensual: - Nossa, está um calor aqui não? Eu acenei confirmando. Foram as únicas palavras que trocamos.

Tudo isso que aconteceu foi muito rápido e quando dei por conta estávamos na estação Sé... ela saiu daquela posição tão agilmente quanto entrou. Se misturou à multidão que saía do trem e... desapareceu... nem tive tempo de perguntar nada, nem falar com ela. Creio que essa era a sua intenção.

O tesão que fiquei foi tão grande, que ao chegar no trabalho corri para o banheiro e me masturbei deliciosamente relembrando a situação vivida há pouco. Encostado na parede, de olhos fechados e alisando meu pau, lentamente, como se fosse a mão daquela mulher... gozei gostoso, lambuzando minhas mãos e o chão de porra (que depois limpei com papel toalha claro!)...


Infelizmente nunca mais nos encontramos... mas o tesão vivido naquele dia ficou guardado comigo e agora compartilho com cada um que vem até minha alcova.

Autor: Sir Lancelot

3 comentários:

Diario de Paixoes disse...

Hummm

delicia de conto Sir.
Vejo que hoje tiramos o dia para contar nossas aventuras.

Gostoso este teu ^.~

Beijos Eternos

Lady Flower

Luxuria disse...

“Não há paixão mais egoísta do que a luxúria”

Tens prémio no meu “LUXURIA”



Beijo de luxuria

Libertya... disse...

bem... já vi que andar de metro é uma aventura! e deliciosa...
bjs libertos Sir